Devido a evolução dos casos de coronavírus no mundo vários governos, com base em estudos científicos, resolveram adotar uma postura mais rígida quanto à doença. Países como Alemanha, Suíça, Reino Unido, Chile, entre outros, optaram por restringir a circulação de pessoas. No Brasil não foi diferente, vários governadores e prefeitos decretaram quarentena da população de suas cidades e estados. Todas essas medidas visam evitar o espalhamento do vírus pela população dos países, evitando o aumento de casos concentrados em um curto espaço de tempo, dando maiores chances de os sistemas de saúde conseguirem cobrir a demanda por leitos dos infectados. A contrapartida é a paralisação de boa parte da economia.

Custo da Quarentena Total

Cenário: Quarentena total - Todos congelados
Cenário congelado hipotético, com todos em quarentena.

Uma projeção simples, que acredito não estar muito distante da realidade, é de dividir o PIB 2,056 trilhões de dólares por 365 dias para saber quanto do PIB é produzido por dia, resultado: 5,6 bilhões de dólares (algo como 25 bilhões de reais) por dia é mais ou menos o quanto custa manter a população isolada totalmente. Como estamos a mais de quarenta dias, o custo gira em torno de 220 bilhões de dólares (1 trilhão de reais). Podendo ser um pouco menor tendo em vista que nem tudo ficou parado tanto tempo. O isolamento total é indicado para os casos em que se perdeu o controle dos infectados, e recomendado para evitar a disseminação da doença. Como não sabemos onde estão os transmissores, impedimos a todos de circular.

Procurando as agulhas no palheiro

Cenário: Agulhas separadas do palheiro
Cenário de agulhas separadas do palheiro.

A outra abordagem possível seria ir atrás novamente de todos os transmissores, literalmente olhar pessoa a pessoa e ver se ela está com o vírus ou não. Embora a princípio seja como procurar uma agulha no palheiro e pareça absurdo em um país de 211 milhões de habitantes, em um cenário onde a outra opção é perder 420 bilhões de reais por mês, tal opção merece ao menos ser considerada.

Neste cenário, se tivéssemos aproveitando a já declarada quarentena por alguns Estados, nos 15 dias de quarentena, a maioria dos infectados já teria apresentado os sintomas e já teriam se isolado por conta própria. Neste mesmo período o governo deveria ter buscado testar o máximo de pessoas possível e triar, se a pessoa testasse positivo, ela teria mantido sua quarentena e acompanharia seu caso, em caso de complicações procuraria um hospital. Aqueles cujo exame tivesse dado negativo, teriam se mantido em quarentena até o final do prazo e após retornariam ao trabalho munidos de máscaras e de todo o comportamento necessário para evitar a disseminação da doença.

Quanto custa achar uma agulha?

Achar as prováveis dezenas de milhares entre 211 milhões pode ser difícil, os testes custam cerca de 150 reais, e devido a urgência, vamos supor que passassem a custar 500 reais. No pior cenário possível, o de ter que testar todas as pessoas, só os testes custariam 105,5 bilhões de reais. Somados à mão-de-obra e logística, provavelmente algo inferior a 150 bilhões de reais. E reforço, isso no pior cenário considerado, a maioria dos infectados já teriam apresentado os sintomas antes do fim da quarentena.

Quarentena x Agulha

Ora, embora os cálculos aqui sejam muito simples, a margem de erro é muito grande. Parece que o custo de testar pessoas é muito mais barato que o custo de se fazer uma quarentena total por mais 40 dias. Teríamos economizado mais de 800 bilhões de reais e com isso, teríamos mantido o emprego de muitas pessoas, a saúde das empresas, e a economia funcionando e provendo alimentos e serviços necessários para a população. Ter buscado os infectados, embora mais trabalhoso seria muito menos custoso.

É isso que a Coréia do Sul fez e o que deveríamos ter feito. Para saber mais, clique no link a seguir: Coronavírus na Coréia do sul.